Receitas

Bacalhau no forno com batatas

O bacalhau assado no forno com batata a murro dispensa apresentações. Esta versão amiga dos ventres mais sensíveis, não tem alho nem cebola mas vai conquistar todos os amantes de bacalhau!

Bacalhau no forno com batatas

Tempo de Preparação: 1 hora e 20 minutos
Porções: 4 pessoas

Ingredientes

  • 2 lombos de bacalhau grandes demolhados
  • 12 batatas pequenas com casca
  • 125ml de azeite aromatizado com alho*
  • 100g de folhas de alho-francês cortadas em tiras finas
  • 1 pimento vermelho cortado em tiras
  • 1 folha de louro
  • Sal q.b.
  • 1 colher de chá de pimentão-doce

Topping

  • Mão cheia de azeitonas pretas

Modo de preparação

  • Numa panela com água a ferver temperada com sal, coloque as batatinhas com casca bem lavadas a cozer durante 20 minutos.
  • Num tabuleiro de ir ao forno, espalhe no fundo as folhas de alho-francês, o pimento e a folha de louro.
  • Coloque os lombos de bacalhau por cima com a pele virada para baixo.
  • Escorra as batatas, envolva-as num pano de cozinha, dê um ligeiro murro e coloque-as em volta do bacalhau.
  • Tempere com uma pitada de sal e pimentão-doce e regue tudo com o azeite aromatizado com alho*.
  • Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 50 minutos.
  • A meio do tempo, regue o assado com o molho.
  • Adicione as azeitonas e está pronto a servir.

Dose low FODMAP

Toda a receita é segura: a dose recomendada de folhas de alho-francês é de 100g e de folhas de louro, 1 (frutose). O pimento vermelho, as batatas e as azeitonas não têm FODMAP, por isso pode comer a quantidade que desejar.

Dicas

*Se não encontrar azeite aromatizado com alho de compra (que deve ser sempre bem coado antes de usar), pode fazer em casa. Coloque o azeite a aquecer e adicione um dente de alho esmagado com casca. Deixe refogar 5 minutos e retire o alho antes de usar.

Joana Oliveira (My Gut Feeling)

Veja também estas receitas

Bacalhau no Forno

Amantes de bacalhau à Zé do Pipo por aí?
Ver Receita

Crumble de Framboesa e Morango

Delicie-se com esta sobremesa crocante e saborosa, sem preocupações.
Ver Receita

Natas do Céu

O nome desta sobremesa diz tudo.
Ver Receita

O que acha deste site

Responda a 3 questões e ajude-nos a perceber o que podemos melhorar.
As suas respostas são anónimas e ajudarão toda a comunidade a ter uma melhor experiência.

1 Eu…

(opcional)
Próxima pergunta

2 Indique, de 1 a 5, se recomendaria este website a outra pessoa.

Próxima pergunta

3 Que conteúdo gostava que continuássemos a actualizar? (seleccione apenas 2)

(opcional)
Enviar

Terei Síndrome do Intestino Irritável?

Alguma vez pensou demoradamente no que ia pedir num primeiro encontro, com receio de que a sua decisão pudesse levar a uma urgente (e inconveniente) ida à casa de banho? Procura sempre a casa de banho de qualquer espaço público assim que entra, como um espião altamente especializado? Já gastou mais em papel higiénico do que em artigos de “higiene pessoal”?

Dificuldades com a digestão são mais comuns do que possa pensar. Apesar de patologias como a SII serem frustrantes, não são definitivamente algo pelo qual deva sentir vergonha.
Começar

Fase 1

Tem, com frequência, dor ou desconforto abdominal que alivia após evacuar?

Sofre com frequência dor abdominal que provoca uma grande urgência em evacuar?

Os sintomas acima descritos duram há mais de 3 meses?

Costuma interromper as suas atividades diárias devido aos sintomas acima descritos?

Próxima pergunta

É pouco provável que seja Síndrome do Intestino Irritável. No entanto, se os sintomas persistirem ou piorarem, consulte um profissional de saúde.

Fase 2

Sente regularmente a sua barriga inchada ou distendida (pense numa gravidez de 6 meses)?

Considera os seus movimentos intestinais “irregulares” (muito frequentes ou pouco frequentes, diarreia ou obstipação)?

As suas fezes têm uma forma anormal (formato, textura, consistência)?

Tem gases com muita frequência?

Tem dificuldade em evacuar (esforço, urgência ou dor)?

Concluir

De acordo com os critérios de Roma IV, é provável que tenha SII. Aconselhamos que consulte um profissional de saúde.

Saiba mais sobre o que dizer na consulta e os tratamentos existentes para gerir os seus sintomas: