Dicas para Viagens

Viagem, passeio, descanso ou actividades ao ar livre. Tudo isto são sinónimos de paz interior e zero stress. Então, vamos fazê-lo bem para que aproveite ao máximo o seu tempo livre!

Uma vez mais, PLANEAR é um passo fulcral para ter a melhor experiência possível. Marque o seu lugar, no voo ou no comboio, de forma a ter facilmente acesso a uma casa de banho, se necessário. Se tem mais sintomas durante um período específico do dia, evite viajar a essas horas.

O que comer

1. Escolher o destino

Ao escolher o local, pense na comida. Se ficar em casa (Portugal) já sabe com o que pode contar e pode sempre seguir as nossas Dicas para Jantar fora.

No Japão a comida é naturalmente baixa em FODMAPs e, no sudeste Asiático, é maioritariamente isenta de lactose e glúten (este último deixa-nos descansados porque sabemos que alimentos com glúten têm frutanos, que é realmente o problema). Saber este tipo de coisas ajuda na escolha.

A dieta mediterrânea usa muito o alho, a cebola, as massas, o pão, por aí fora. O que não quer dizer que não encontre alternativas viáveis em países como Itália. É uma questão de pesquisar e criar uma lista prévia de restaurantes nas áreas que quer visitar que sejam seguros. Pode sempre seguir as Dicas para Jantar fora também nestes países.

Outra alternativa que pode deixá-la(o) mais descansada(o) é encontrar um alojamento com kitchenette ou cozinha. Assim só come o que for preparado por si e, no processo, é bem capaz de conseguir poupar uns trocos.

2. Informar a companhia aérea

Vai fazer refeições durante o voo? Fale com a companhia aérea e diga que tem certas intolerâncias, pergunte-lhes que opções existem e como podem ajudar.

3. Marque o supermercado

Identifique o supermercado mais próximo do seu alojamento. É sempre boa ideia começar a viagem por aí: pode escolher snacks, frutas, comprar água e saquetas de chá para ir ingerindo ao longo da viagem, não dependendo de outros estabelecimentos.

As casas de banho

Sabia que em Inglaterra há um site que lista todas as casas de banho públicas e um cartão “Can’t Wait” que é amplamente reconhecido?

Se não for para Inglaterra, o truque é semelhante:

  • Pesquise as casas de banho ou estabelecimentos com casas de banho próximas dos locais que vai visitar.
  • Veja o que dizem nos blogues de viagem sobre o uso de casas de banho em estabelecimentos.
  • Leve moedas para o caso de ter de pagar a entrada numa casa de banho pública.
  • Programe os seus dias para que possa parar no alojamento por volta da hora de almoço ou nos horários em que costuma precisar de ir à casa de banho. Isto exige um processo prévio de autoconhecimento e depende sempre do seu nível de ansiedade mas, se planear tudo, com certeza sentir-se-á mais confiante e relaxada(o).

Prepare a sua mala para se sentir mais confortável ao usar casas de banho públicas: toalhitas, toalhitas desinfectantes para o assento, lenços, gel para as mãos, ambientador de tamanho portátil.

Distracção

Há muitas pessoas que se sentem desconfortáveis em viagens de avião, ou aborrecidas, e o tempo extra para pensar pode levar-nos a stressar desnecessariamente. Levar algo com que se possa distrair ajuda a dar a volta a estas circunstâncias. Seja um dispositivo com ligação à internet para ver uma série, um livro, um jogo ou boa música.

Lembre-se: férias é para descansar

Por isso, não encha demasiado a sua agenda. Aproveite as coisas com a maior calma que conseguir, dê-se tempo, e ao seu corpo, para andar relaxada(o) e sentir-se segura(o). Evite a pressão de várias visitas marcadas em determinado horário para o mesmo dia.

48h antes e hidratação

Dois dias antes de ir viajar, evite TODOS os alimentos que possam provocar sintomas. Durante o período em que estiver fora não se esqueça de se manter hidratado. Leve um probiótico que ajude a combater a diarreia, caso seja necessário e preste atenção à cor da sua urina.

O que acha deste site

Responda a 3 questões e ajude-nos a perceber o que podemos melhorar.
As suas respostas são anónimas e ajudarão toda a comunidade a ter uma melhor experiência.

1 Eu…

(opcional)
Próxima pergunta

2 Indique, de 1 a 5, se recomendaria este website a outra pessoa.

Próxima pergunta

3 Que conteúdo gostava que continuássemos a actualizar? (seleccione apenas 2)

(opcional)
Enviar

Terei Síndrome do Intestino Irritável?

Alguma vez pensou demoradamente no que ia pedir num primeiro encontro, com receio de que a sua decisão pudesse levar a uma urgente (e inconveniente) ida à casa de banho? Procura sempre a casa de banho de qualquer espaço público assim que entra, como um espião altamente especializado? Já gastou mais em papel higiénico do que em artigos de “higiene pessoal”?

Dificuldades com a digestão são mais comuns do que possa pensar. Apesar de patologias como a SII serem frustrantes, não são definitivamente algo pelo qual deva sentir vergonha.
Começar

Fase 1

Tem, com frequência, dor ou desconforto abdominal que alivia após evacuar?

Sofre com frequência dor abdominal que provoca uma grande urgência em evacuar?

Os sintomas acima descritos duram há mais de 3 meses?

Costuma interromper as suas atividades diárias devido aos sintomas acima descritos?

Próxima pergunta

É pouco provável que seja Síndrome do Intestino Irritável. No entanto, se os sintomas persistirem ou piorarem, consulte um profissional de saúde.

Fase 2

Sente regularmente a sua barriga inchada ou distendida (pense numa gravidez de 6 meses)?

Considera os seus movimentos intestinais “irregulares” (muito frequentes ou pouco frequentes, diarreia ou obstipação)?

As suas fezes têm uma forma anormal (formato, textura, consistência)?

Tem gases com muita frequência?

Tem dificuldade em evacuar (esforço, urgência ou dor)?

Concluir

De acordo com os critérios de Roma IV, é provável que tenha SII. Aconselhamos que consulte um profissional de saúde.

Saiba mais sobre o que dizer na consulta e os tratamentos existentes para gerir os seus sintomas: