Dicas para o WC

Passemos da conversa de café para a de casa de banho. Sabia que há uma forma correcta de evacuar?
O nosso corpo está feito para evacuar agachado e não sentado – parece estranho, afinal, até agora, sempre fez o que tinha a fazer sentado e correu tudo bem. A realidade é que fazê-lo com o ângulo errado entre o recto e o ânus, faz com que seja mais complexo, demorado e pode até causar alguns problemas, como hemorróidas.

A posição certa

  1. Sente-se com os pés apoiados e os joelhos acima das ancas – use um banquinho para os pés se necessário.
  2. Incline-se ligeiramente para a frente, pouse os cotovelos nos joelhos.
  3. Empurre o abdómen ligeiramente para fora, endireitando a coluna.
  4. Liberte mais rapidamente e com menos esforço.

Outras dicas para uma ida à casa de banho menos penosa

  1. Não ignore o chamado da natureza – seja frequente ou não.
  2. Tente relaxar e evite curvar-se.
  3. Dê tempo para que a coisa aconteça de forma natural. Pode dar um empurrãozinho para ajudar, mas não se dobre nem force demasiado e, se não conseguir fazer logo, levante-se e prossiga com a sua rotina, até voltar a sentir aquela vontade indiscutível.

A técnica das enfermeiras do Hospital de University College

Esta técnica ajuda a “abrir o caminho” quando está com vontade.

  1. Coloque as mãos na cintura e tussa. Vai sentir os músculos da cintura a alargar – estes são os músculos que deve usar.
  2. Respire fundo algumas vezes e alargue a cintura ao endireitar a coluna.
  3. Empurre gentilmente para baixo, da cintura até à saída.
  4. Relaxe, depois repita o método até esvaziar o intestino. Não se contraia.

Massagem para obstipação

Esta massagem, apesar de gentil, não deve ser usada durante a gravidez ou se tiver outro problema intestinal grave.

  1. Deite-se de costas, de preferência na cama, e relaxe
  2. Pouse a sua mão dominante sobre o abdómen e mova-a gentilmente à volta do umbigo.
  3. Aumente a pressão gradualmente e o círculo de movimento, até a massagem se tornar firme e alargada, completando até 10 círculos.
  4. Respire calmamente durante o processo.

O que acha deste site

Responda a 3 questões e ajude-nos a perceber o que podemos melhorar.
As suas respostas são anónimas e ajudarão toda a comunidade a ter uma melhor experiência.

1 Eu…

(opcional)
Próxima pergunta

2 Indique, de 1 a 5, se recomendaria este website a outra pessoa.

Próxima pergunta

3 Que conteúdo gostava que continuássemos a actualizar? (seleccione apenas 2)

(opcional)
Enviar

Terei Síndrome do Intestino Irritável?

Alguma vez pensou demoradamente no que ia pedir num primeiro encontro, com receio de que a sua decisão pudesse levar a uma urgente (e inconveniente) ida à casa de banho? Procura sempre a casa de banho de qualquer espaço público assim que entra, como um espião altamente especializado? Já gastou mais em papel higiénico do que em artigos de “higiene pessoal”?

Dificuldades com a digestão são mais comuns do que possa pensar. Apesar de patologias como a SII serem frustrantes, não são definitivamente algo pelo qual deva sentir vergonha.
Começar

Fase 1

Tem, com frequência, dor ou desconforto abdominal que alivia após evacuar?

Sofre com frequência dor abdominal que provoca uma grande urgência em evacuar?

Os sintomas acima descritos duram há mais de 3 meses?

Costuma interromper as suas atividades diárias devido aos sintomas acima descritos?

Próxima pergunta

É pouco provável que seja Síndrome do Intestino Irritável. No entanto, se os sintomas persistirem ou piorarem, consulte um profissional de saúde.

Fase 2

Sente regularmente a sua barriga inchada ou distendida (pense numa gravidez de 6 meses)?

Considera os seus movimentos intestinais “irregulares” (muito frequentes ou pouco frequentes, diarreia ou obstipação)?

As suas fezes têm uma forma anormal (formato, textura, consistência)?

Tem gases com muita frequência?

Tem dificuldade em evacuar (esforço, urgência ou dor)?

Concluir

De acordo com os critérios de Roma IV, é provável que tenha SII. Aconselhamos que consulte um profissional de saúde.

Saiba mais sobre o que dizer na consulta e os tratamentos existentes para gerir os seus sintomas: